Produção de Textos



 
Produção de Textos
Estruturas do Texto
Técnicas
Erros mais comuns
Tipos de Textos
Fale Conosco
Mapa do Site

   
 



Tipos de Textos
 
Descrição

escrevendoQuando o objetivo é caracterizar os seres, os objetos e as paisagens percebidas por meio dos sentidos, utiliza-se a descrição. Ela também serve para representar qualidades, circunstâncias e emoções com palavras precisas. Logo, para descrever, é importante uma boa capacidade de observação e, acima de tudo, de sentidos apurados.

Os aspectos mais relevantes, durante uma descrição detalhada, devem ser privilegiados pelo autor. Em grande parte, o sucesso dessa atividade depende da escolha adequada das palavras. É preciso corrigir, apagar e tornar a escrever, para se chegar a um modelo ideal. A partir disso e com a prática, as palavras exatas para o que você quer expressar fluirão normalmente.

As duas maneiras conhecidas para se elaborar uma descrição são: no começo, partir de uma visão panorâmica e, no decorrer do texto, aproximar-se dos detalhes; como também, começar nos detalhes e, no decorrer do texto, ir ampliando a perspectiva, até chegar a uma visão geral.

Ela pode se dividir em dois tipos: objetiva e subjetiva.
 
Na primeira, as qualificações são feitas de maneira mais superficial.
 
Exemplo: Era uma mulher de 40 anos, grisalha e magra. Morava naquela cidade há 5 anos.
 
Na segunda, ela se apega aos valores mais profundos e sentimentais do que está sendo descrito.
 
Exemplo: Era uma mulher bonita, meiga e sensível.

Narração

Caracterizada pelo relato de acontecimentos e fatos vistos, lidos, ouvidos ou imaginados, dados em um determinado local ou momento. Ela situa as coisas no tempo, contando uma história. As principais palavras encontradas e que acabam predominando em uma narrativa, são os verbos que expressam ação, além dos pronomes pessoais.

Em uma narração podem ser identificados tanto o discurso direto, como o indireto. Como identificá-los?

Ao indicarmos o interlocutor, caracterizando sua fala por meio de elocuções como “dizer”, “exclamar”, “perguntar”, “responder” e outros, estamos usando o discurso direto. É apropriado omiti-las em falas breves, bastando, para isso, que a abertura do parágrafo e o uso do travessão sejam usados para a clareza do diálogo.

Exemplo: Por que você chegou tão cedo? Perguntou-lhe a tia, logo que apareceu na sala.

Agora, quando não há diálogo e o narrador não põe os personagens para falar diretamente, ocorre o discurso indireto. No caso, o narrador se faz de intérprete de quem está no texto, transmitindo ao leitor o que disseram ou o que pensaram.

Exemplo: No fim da conversa, Maria me disse que adoraria conhecer Paulo e perguntou por que não o apresentei a ela.

Quando ocorre a mistura dos discursos direto e indireto, nasce um terceiro tipo de técnica narrativa, conhecido como discurso indireto livre. Esse processo é mais difícil e mais raro, entretanto, possui um grande efeito estilístico. É caracterizado por uma espécie de monólogo interior dos personagens, só que expresso pelo narrador.

Exemplo: “Quando Eduardo ia para o Grupo, deixava-a debaixo da bacia. Um dia o pai lhe disse que aquilo era maldade: Gostaria que fizessem o mesmo com você? As galinhas também sofrem. Um domingo encontrou a galinha Eduarda na mesa do almoço, pernas para o ar, assada. Eduarda foi comida entre lágrimas!”. (Fernando Sabino, O Encontro Marcado, 5ª ed., pág. 9).

Os elementos encontrados em uma narrativa são:

Enredo - determinado pela expressão “o quê?” - são os fatos relatados no texto;
Personagens – determinados pela expressão “quem?” - o enredo da história é formato por eles, os seres envolvidos nos fatos;
Espaço – determinado pela expressão “onde?” - é o ambiente onde se desenrolam os fatos;
Tempo – determinado pela expressão “quando?” - determina a época em que aconteceram os fatos.

Dissertação

A dissertação é uma das principais técnicas de texto cobradas em avaliações de vestibular, concursos públicos e trabalho. Ela é caracterizada pela arte de expor, interpretar, explicar, discutir uma ideia, manifestando o ponto de vista sobre um assunto determinado.

livro-cadernoDependendo do fato, geralmente da realidade, é possível expressar uma opinião que, dificilmente, estará de acordo com a ideologia e a concepção de vida de outras pessoas. Portanto, ao elaborar um texto dissertativo, é importante refletir sobre o tema proposto, para que seja viável construir uma opinião a respeito do assunto.

Em temas bastante amplos, é necessário especificá-los, facilitando o trabalho da organização de ideias em redações para concursos e vestibulares.

Estrutura ideal de um texto dissertativo:

Identificação do tema;
Delimitação do tema – é aqui que ocorre a definição do tema a ser abordado;
Introdução – apresenta-se o assunto;
Desenvolvimento – nessa etapa, acontece a argumentação da ideia central e uma análise crítica, além da exposição de raciocínios, provas, juízos de valor, testemunhos, exemplos, justificativas e históricos;
Conclusão – união e encerramento de ideias ou apresentação de uma possível solução;
Releitura e Título – para finalizar, revisa-se a parte gramatical, a criatividade e a empatia.